Febre amarela

febre

Na última semana a Secretaria Municipal de Saúde fez uma nova campanha nos postos de saúde para vacinar a população contra a febre amarela. A dose recomendada para nós, soropositivos, é a dose padrão. Isso significa: Não devemos fazer a fracionada.

Para não cair em cilada e correr o rico de não ser vacinado pegue antes a receita médica com a sua ou o seu infectologista. Só assim você poderá ter acesso a dose única.

Como o meu CD4 em outubro/2017 marcava 290 eu só farei a vacina quando sair tiver o novo  resultado do exame. Minha coleta de sangue está agendada para o dia 15 de março. Com a nova contagem em mãos eu saberei se estou ou não liberado para a vacina. Por enquanto a recomendação é: não viajar para a Serra.

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem febre de início, súbitos calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

Atualmente, no Brasil só há casos de febre amarela silvestre. A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus.

Pessoas com HIV podem se vacinar contra a febre amarela, mas CD4 deve ser maior do que 350, explica o infectologista Valdez Madruga

Imagem ilustrativa: site G1.

Arquivo Pessoal #4

Nesta postagem falo sobre a minha recaída à droga após um ano e cinco meses limpo. Não usei álcool. Muito menos cocaína. Dessas duas estou fora. A droga usada por mim no último domingo, 4 de março, na companhia de um colega se chama cristal. Nunca tinha ouvido falar nela. Lendo ontem sobre a substância ilícita descobri que é metanfetamina. Sua cor é branca cristalina. As pessoas cheiram, fumam ou injetam com seringas. Eu fumei. Também há quem ingira. Todas as formas de utilização desta droga desenvolve uma fissura para a pessoa continuar usando por conta da falsa sensação de felicidade e bem-estar produzidas por ela.

Meu objetivo principal ao usar cristal era apenas um: esquecer por algumas horas a minha angústia e vazio interior. Consegui. Não usarei mais.

Cristal é uma droga cara por ser importada. 1 grama pode custar até R$ 300.

Metanfetamina – Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Parecer Técnico – Comitê Científico de HIV/Aids

Hoje o meu vídeo fala sobre o Parecer Técnico Indetectável-Intrasmissível recebido por whatsapp pela minha infectologista, a Dra Cydia Souza, que foi enviado à ela pela Sociedade Brasileira de Infectologia. Tentei compartilhar num grupo de WhatsApp que pertenço com mais de 200 gays e a galera lá não recebeu a dica de bom grado. Por incrível que pareça muitos se vangloriam de transarem sem preservativos. Ainda tive que ler: “cada um sabe o que é bom pra si”.

Baixe o arquivo PDF clicando aqui (Parecer-Indetectável-Intransmissível)

“Sou positivo. E agora?”

Muitos fazem essa pergunta quando recebem o diagnóstico HIV positivo. Eu também fiz. Você não é exceção. O mais importante após saber o resultado é não se desesperar e sim fazer o que deve ser feito: Procurar a clínica da família próxima à sua casa e conhecer a sua ou o seu infectologista.

Pacientes soropositivos podem escolher o local onde preferem fazer o seu tratamento no caso de não se sentirem a vontade com a unidade próxima a sua localidade.

É lenda que a vida fica mais complicada após a descoberta. É vida normal. Com alguns cuidados e sem exageros. A única prescrição médica que a gente recebe quando iniciamos a medição é não fazer uso de entorpecentes e álcool demais. Exercício é a melhor pedida. Combate a depressão e o baixo astral.

Dica importante: Não quebre a cabeça tentando adivinhar quem infectou você. Esqueça. Não importa. O fundamental agora é olhar para frente. 

As histórias de quem vive com HIV desde os anos 80

SUS amplia oferta de medicamento inovador para pacientes com HIV e Aids

HSH + DST = CARNAVAL 2018

“Hoje começa o carnaval e o sexo está liberado até quarta-feira de cinzas” – Há controvérsias.

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 830 mil pessoas vivem com HIV/aids e aids no país. São 694 mil pessoas diagnosticadas, e 548 mil pessoas me tratamento. Estima-se que 136 mil pessoas ainda não sabem que estão com HIV e que 196 mil sabem que tem o HIV e não estão em tratamento.

De acordo com a pesquisa, os jovens são os que menos usam preservativos, razão pela qual são foco da campanha. Dados da Pesquisa de Conhecimento, Atitudes e Práticas apontam queda no uso regular de camisinhas entre a faixa etária de 15 a 24 anos, tanto com parceiros eventuais – de 58,4% em 2004 para 56,6%, em 2013 – como com parceiros fixos – queda de 38,8% em 2004 para 34,2% em 2013.

Links relacionados com o vídeo:

Ministério da Saúde alerta folião para o uso da camisinha no Carnaval

HSH: Os homens que têm relações sexuais com outros homens, mas não se consideram gays – O Popular

Doenças sexualmente transmissíveis não param de crescer

Médicos alertam para índices crescentes de HIV e HPV entre jovens, hepatite B e sífilis

Por que fazer tratamento com PrEP?

Conversei com a Dra Cydia Souza semana passada e conversamos um pouco sobre a PrEP.

Você sabia que no Brasil, uma pessoa é infectada a cada 15 minutos e no mundo a cada 17 segundos?

A taxa de detecção da doença no país tem se estabilizado nos últimos dez anos, com média de 20,7 casos por 100 mil habitantes, de acordo com o Ministério da Saúde.

O que é a PrEP? Tire 12 dúvidas sobre o tratamento que previne o HIV.

Novo método anti-HIV substitui pílula diária por tratamento semanal

Suicídio

Quem nunca pensou em suicídio pelo menos uma vez na vida quando tudo parecia dar errado? Terminar com tudo? Acabar com a dor?

Eu tentei me matar pelo menos algumas vezes. Em todas elas não tive sucesso. Tanto é que estou aqui agora falando com você. A primeira vez eu era muito novo. Fui pela forma convencional mesmo: gilete e remédio. Era recém descoberto gay pelos meus pais. Foi uma brigalhada danada. Tentaram me trancar em casa para eu não ver o meu ex primeiro namorado. Quis morrer na época. As outras vezes já são mais recentes. Eu já estava com depressão. Hoje identifico os sintomas de prima porque combato ela diariamente através de exercícios e oração. Antes não tinha forças. Aliviava os maus pensamentos e a angustia com álcool e drogas. Não suportava assistir a minha falta de sorte nos meus relacionamentos e trabalho. Odiava a minha vida sempre igual, desestabilizada. Não fazia nada significante para mudar a situação. Me colocar como vítima era mais cômodo. Fazer a grande mudança não estava nos meus planos. Não sabia nem por onde começar. Sob efeito de pó fiz muita merda. Transei sem proteção e coloquei a minha vida em risco várias vezes. Não me importava comigo. Era a forma encontrada para dar fim a minha vida aos poucos. Muitas vezes parei em hospitais na madrugada com princípio de overdose. Por três vezes passei por situações críticas. Em todas elas prometia parar mas não conseguia. A tristeza interior não me deixava. Faz pelo menos 1 ano, 4 meses e 4 dias que eu decidi enfrentar a vida de cara limpa. Não é fácil matar um leão por dia. Batalhar um lugar ao sol não é tarefa para principiante. Exige muita dedicação e disciplina. Comportamentos que eu só vim aprender a ter depois de velho, com 38 pra 39 anos. Este ano faço 40. Ser HIV + indetectável e sóbrio me deu a oportunidade de gostar mais da minha vida, batalhar por um futuro melhor. Hoje valorizo cada hora do meu dia. Não desperdiço mais o meu tempo com bobagens. Acordo e durmo cuidando do meu corpo como se ele fosse o projeto mais valioso que eu tenho. Dá trabalho. Não é fácil acordar, correr, trabalhar, malhar, comer e ainda ter tempo para namorar. Eu que tenho um relacionamento a distância fica mais complicado ainda. Praticamente missão impossível. Quem me acompanha aqui sabe as dificuldades que enfrentei recentemente. Minha rotina agora é focar nos projetos futuros. Os pensamentos ruins ainda me visitam eventualmente. A única diferença de antes pra agora é só uma: não tenho tempo para lamúrias. É mãos à obra. Ainda passarei por muitos desafios. Sei que não serão poucos. A minha maior vitória é poder fazer escolhas que julgo certas de cara limpa, sem arrependimentos. É isso que importa. Para transformar tudo a nossa volta basta darmos o primeiro passo. Foi isso que eu fiz e continuo fazendo diariamente, um dia de cada vez.

Essa foto foi tirada no último sábado, 13 de janeiro. Eu do lado do cara que escolhi para namorar. Ainda estou me adaptando ao relacionamento aberto. Não sei se quero isso para sempre. No momento é o que tenho. Não quero mexer nisso agora. Tenho muita coisa pra resolver. É ponto e basta.